Quem Somos

Nascemos com o propósito de transformar uvas em experiências e momentos inesquecíveis.

Somos um família que tem laços com a Serra da Mantiqueira desde nossos avós, pois a região era frequentada na década de 50 pela Dona Zizi, que foi monitora do acampamento Paiol Grande escalando naquela época a magnífica Pedra do Baú com um grupo de apenas meninas.

O casal proprietário da Vinícola Raízes do Baú, Marcelo e Sônia, começam a namorar na década de 70 em Campos do Jordão, adquirindo um carinho especial pela região pelo início de sua história.

Na década de 2000, Marcelo e Sônia buscavam uma casa na região de Campos do Jordão, porém não encontravam nada que lhes agradasse. Começaram a explorar áreas que fossem mais longe do centro de Campos do Jordão e se aventuraram por estradas em que não sabiam aonde dariam contemplando a possibilidade de estarem mais próximos à natureza da Mantiqueira.

Em 2001 acharam a propriedade que hoje é a Vinícola Raízes do Baú por obra de um acaso: se perderam na estrada que hoje fica a propriedade, enquanto se apaixonavam pela Serra da Mantiqueira que se revelava cada vez mais linda a cada curva. A propriedade antes se chamava Sítio do Contra e após explorarem a propriedade se encantaram com a energia e beleza do Vale do Baú. Por isso, decidiram comprar e chamar a propriedade, iluminada, encantada, única, de Fazenda Portal da Luz.

Do Sítio do Contra a Fazenda Portal da Luz herdou 1200 pés de castanha portuguesa que produziam na época 1.5 toneladas do fruto. Com o tempo, muita dedicação e estudo, Marcelo e Sônia aprenderam os ciclos da castanheira, os cuidados, as técnicas de cultivo e produtos que resultam desse fruto versátil. Hoje a Fazenda Portal da Luz, produz quase 3 toneladas de castanha portuguesa, sendo um dos maiores produtores do Brasil, e com ela faz chutneys, doces, farinha de castanha portuguesa e cerveja artesanal estilo Belgian Blond Ale.

No final da década de 2000, começaram a surgir projetos vitivinícolas impulsionados pela técnica da dupla poda, conduzida pela EPAMIG, que a implantava pela região da Serra da Mantiqueira.

Marcelo e Sônia, que já amavam, estudavam e tinham muito apreço por vinhos (uma paixão especial por espumantes), porém nunca haviam cogitado a hipótese de serem produtores de uvas e vinhos.

Após analisarem a viabilidade de se produzir vinhos finos no solo e terroir de sua propriedade junto com o pesquisador Murilo de Albuquerque Regina da EPAMIG, Marcelo e Sônia decidiram empreender e, dentro da Fazenda Portal da Luz, abriram a Vinícola Raízes do Baú.

A missão da vinícola é fazer vinhos que sejam de altíssima qualidade e que representem toda a diversidade e riqueza do terroir, fauna e flora da Serra da Mantiqueira. Por isso, o nome de Vinícola Raízes do Baú foi escolhido: queríamos em seu nome a indicação geográfica que contemplasse e homenageasse a vista única que temos bem de frente para a magnífica Pedra do Baú.

Em 2010 plantamos Cabernet Sauvignon, Malbec, Pinot Noir, Petit Verdot e Syrah e em 2013 já lançamos o primeiro vinho da uva Syrah de colheita de inverno, nascendo assim a linha Baú 9.4 da vinícola.

Temos paixão pela terra e as uvas e, principalmente, por receber visitantes em nossa propriedade para trocar com eles todas as informações e conhecimento que adquirimos ao longo do tempo sobre cultivo de uvas, tipos de colheita (verão/inverno), a riqueza da natureza da Mantiqueira e o vasto universo do vinho.

Plantamos hoje 9 espécies de uvas – Cabernet Sauvignon, Malbec, Pinot Noir, Malbec, Syrah, Pinot Meunier, Chardonnay, Pinot Grigio e Viognier – que produzem entre 5000 e 6000 garrafas de vinhos por ano.

Somos uma vinícola que faz vinhos em pequena escala, butique, e pretendemos nos manter assim, pretendemos nos manter, focando sempre na qualidade e saúde das nossas uvas para que possamos fazer vinhos inesquecíveis, que façam parte da vida das pessoas, inspirando-as a brindarem sempre os momentos mais simples e cotidianos, porque a vida é preciosa e acontece agora, e merece ser comemorada todos os dias.

Saúde e esperamos receber você muito em breve! ❤️

Nossa História

2002
  • Compra da propriedade Sítio do Contra que é renomeado para Fazenda Portal da Luz
2002
2008
  • Inauguração e consagração da Capela de São Francisco na propriedade
2008
2010
  • Plantação dos primeiros pés das uvas Cabernet Sauvignon, Malbec, Pinot Noir, Petit Verdot e Syrah
2010
2011
  • Plantação da uva Viognier
2011
2012
  • Plantação das uvas Chardonnay e Pinot Meunier
  • Lançamento do primeiro vinho: Baú 9.4 Syrah 2012 Colheita de Inverno
2012
2013
  • Lançamento do segundo vinho: Baú 9.4 Syrah 2013 Colheita de Inver
2013
2014
  • Plantação da uva Pinot Grigio
  • Lançamento do terceiro vinho: Baú 9.4 Syrah 2014 Colheita de Inverno
2014
2015
LANÇAMENTO DOS VINHOS:
  • Baú 9.4 Petit Verdot 2015
  • Meio a Meio Pinot Noir & Malbec 2015 Colheita de Inverno;
  • Baú 9.4 Syrah & Viognier 2015
2015
2016
  • Lançamento do vinho Baú 9.4 Malbec 2016
2016
2017
  • Lançamento do vinho Baú 9.4 Syrah 2017 Colheita de Inverno
2017
2018
  • Lançamento do vinho Trinca 2018 Cabernet Sauvignon, Malbec e Petit Verdot
2018
2019
  • Abertura do Empório Raízes do Baú
  • Lançamento do vinho Trinca 2019 Cabernet Sauvignon, Malbec e Syrah
2019
2020
  • Lançamento da primeira Cerveja Artesanal Belgian Blonde Ale de Castanha Portuguesa
  • Abertura da Vinícola para o Enoturismo com os passeios: Tour pelo Vinhedo, Picnic no Vinhedo e Picnic no Lago
2020
2021
  • Lançamento da marca Vinícola Raízes do Baú
  • Lançamento primeiro espumante: Nebula Brut 2018 Método Tradicional
2021

O terroir da nossa vinícola e da Mantiqueira

Amplitude térmica

Solo basáltico

Face Norte

Pomar

A Dupla Poda

As videiras precisam, para o amadurecimento dos frutos, de tempo seco e de amplitude térmica. A Serra da Mantiqueira tem um clima que, em princípio, não seria apropriado para a viticultura. Nos meses de verão, há um excesso de chuvas, quando se compara a região com outras regiões vitivinícolas.

Desenvolveram-se técnicas para mitigar ou eliminar os efeitos do excesso das chuvas de verão e criaram-se dois ciclos para as uvas: o de verão e o de inverno.

Para o ciclo de verão, usamos técnicas que impedem ou diminuem o acesso da água às raízes da videira, de modo a restringir a diluição do açúcar na baga da uva: cobrimos o vinhedo ou usamos, conforme a declividade do terreno, canaletas ou as curvas de nível para escoar a água para fora do terreno.

Normalmente, as videiras são podadas no final do inverno, entre agosto e setembro. Daí, vicejam durante a primavera e amadurecem durante o verão, ao final do qual são colhidas. Como este período, na Serra da Mantiqueira, é chuvoso, foi desenvolvida pela EPAMIG uma técnica, conhecida como dupla poda ou poda invertida, que troca o período do amadurecimento da uva; ele deixa de acontecer na primavera e no verão e passa a acontecer no outono e no inverno. O período de outono e inverno, na Serra da Mantiqueira, é de muito pouca chuva e com bastante amplitude térmica, o que significa dias quentes que se seguem a madrugadas bastante frias.

A técnica da dupla poda acrescenta mais uma poda – tão radical como a primeira – entre dezembro e janeiro. Retiram-se todos os ramos, com os cachinhos, que cresceram até então. A videira recomeça o ciclo, aproveitando as chuvas de verão (como se fossem as chuvas da primavera) e soltando os novos ramos com brotos durante o outono e efetivando o amadurecimento durante o inverno.

Outro fator típico da Serra da Mantiqueira, que auxilia no uso da dupla poda, além do tempo seco e da amplitude térmica, é que, durante o outono e o inverno serranos, embora os dias sejam mais curtos (portanto, com menos horas de luz), a intensidade da luz é impressionante. Essa luminosidade, aliás, realça os contornos e a profundidade de nossa maravilhosa paisagem!

Os “vinhos de inverno”, obtidos com a técnica da dupla poda, costumam ser mais potentes do que os vinhos de colheita de verão: eles têm uma gradação alcoólica mais alta e mais taninos do que os provenientes das uvas de verão.